quarta-feira, março 05, 2008

do impasse

as peças sobrepostas
as frases suspendidas
sentenças deitadas sobre a mesa
entremeando essa plástica harmonia
forçada

o chão se inunda
somos naves desencontradas
nessa trama indefesa
inde
ferida

haverá recurso cabível?

4 comentários:

Mirar & Ver disse...

Olá, Aline.
Tô retribuindo a visita e dizer que também gostei bastante do seu blog.
Quero voltar outras vezes e com mais tempo.
Aguarde.

Abraço e vamos aos estudos!

Salve Jorge disse...

Nesse impasse
Como de praxe
Caímos no enlace
Por mais que se ache
Que há redenção final
Que compensamos o mal
E com sorte
Ainda saímos no jornal
Antes da morte
Antes de aumentar o corte
A ferida
Necessária
E indevida
Impasse de vida...

P.s - Fiquei deveras encantado com suas bandas também.. és sempre bem vinda

Leandro Jardim disse...

Caminho interessante, cujo final me despertou o rosto num bom sorriso de agrado!

abs
Leandro Jardim

Linda Graal disse...

humm, guapa!!
é...realmente...o que é teu não passa facilmente...ao contrário, embaraça e rompe.

bela escrita a tua! bem, sou suspeita...elegi-te (hehe)

besos, guapa!