sexta-feira, junho 20, 2008

Nova Poética

Manuel Bandeira sabia das coisas:

"O poema deve ser como a nódoa no brim:
Fazer o leitor satisfeito de si dar o desespero."

É a vida...

2 comentários:

Miguel Barroso disse...

Um amor senta-se e permanece estoicamente activo na magnitude uterina do seu esplendor.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

Aramíssss disse...

Passei para espiar. Comentei por aqui porque não tem tinturaria que de jeito nas minhas calças.
As de brim então!
Agradeço a visita!