sexta-feira, outubro 10, 2008

HIPOCRISIA

Hipocrisia, falta de profissionalismo, preconceito: mazelas da nossa sociedade, evidentes no episódio descrito abaixo, pelo colega de pós-graduação, Saint Clair:


Oswaldo Martins, poeta e professor, foi demitido da Escola Parque, dita "progressista". A razão? Recomendou o livro A jogadora de Go, da escritora chinesa Shan Sa, aos alunos de 7ª e 8ª séries, adolescentes. Uma mãe leu o livro e achou-o "pornográfico". No decorrer desse processo louco, a escola alegou que Martins era professor e poeta, coisas que são "incompatíveis". Talvez porque ele escrevesse poema eróticos que, no entanto, jamais foram indicados por ele aos seus alunos. A escola chamou o professor para conversar e sugeriu que ele pedisse demissão; ele se recusou, foi demitido, e essa história dantesca acabou chegando aos jornais.Algumas reflexões. Primeiro: A jogadora de Go é um dos livros mais belos que já li na vida, sem nada de erótico, que dirá pornográfico. Uma pessoa que veja nele algo de pornô está precisando urgentemente procurar um psiquiatra. Ou um michê. Segundo: que escola "progressista" é essa, meu deus? Um professor sugere a leitura de uma excelente obra literária, que ganhou diversos prêmios, inclusive em seu país de origem (o romance foi publicado originalmente em francês, porque Shan Sa mora na França, escreve na língua de Molière, e me lembro agora de um dos prêmios que ganhou por lá: o Goncourt des Lycéens, atribuído todos os anos por alunos franceses às obras que mais lhes encantaram, oh ironia!), e acaba sendo demitido?!? Terceiro: como é que a direção de uma escola ouve uma mãe sem analisar a obra, e acaba dando-lhe razão, passando por cima das decisões de um dos seus professores, especialista em literatura (Oswaldo Martins, como eu, tem mestrado em literatura concedido pela Uerj)? Quarto: poesia e educação são coisas incompatíveis desde quando? Então um poeta não pode ser professor, ou um professor poeta? A secular noção de poesia como paidéia foi jogada no esgoto pela Parque. Que escola!A Escola Parque diz que não comenta em público decisões internas. Faz bem, porque nada que diga tornará esse caso mais correto. É vergonhoso, lamentável, mas pelo menos uma coisa podemos tirar de bom: a certeza de que a sociedade brasileira está mesmo muito doente, seus valores totalmente invertidos, quando uma mãe manda mais do que um professor em sala de aula.
Adendo: está lá, no site da Parque: "Escola Parque: uma escola que estimula a expansão cultural" Meu deus, a hipocrisia dessa gente nunca deixa de me surpreender!


[Leia mais em http://opiario.livejournal.com]

*************************************************
comentário meu: péra, poeta não pode ser professor? vou pedir demissão hoje, então. aff!!

6 comentários:

Thiago disse...

parece escassa a escola que ensina o aluno pensar; apenas preocupam-se ao aluno responder perguntas e passar no vestibular. chega na universidade filosofia é chato, pensar é difícil "diga logo a resposta que eu decoro"

ai se a mãe faz uma reunião de dondocas e decidem tirar alguns filhos da escola,seria prejuizo. o ensino só vem depois do dinheiro, parece que o pensar foi esquecido pelo capitalismo. Oh Marx, deve ta lá -de algum lugar- assistindo a crise dos imobiliaria dos eua.
rindo louco mas louco de euforia..

enquanto à poesia,, abstenho-me, deveras, ainda não seja professor

GUILHERME PIÃO disse...

Concordo, não lí o livro mas pelos premios deve ser bom, vou verificar.
Sobre a demissão, é um problema, a mãe que paga exige e a escola "hipócrita" aceita pois depende da mensalidade e comete injustiças...
Aqui em S.Paulo teve um caso da escola Naval (Acho que é isto) onde uma mãe disse que o filho era abusado sexualmente, condenaram sem provas, transformaram a vida do diretor, professores e funcionários um inferno.
No final não era nada disto....mas acabaram com a vida destas pessoas por causa de uma mãe ...nem sei como classifica-la.
Abraços

F. Reoli disse...

Poesia é a única forma de libertarmos não só as palavras, mas como os sentidos que nos abraçam. E a literatura em sí, deveria ser a única arte que não deveria conter restrições etárias ou morais. Infelizmente, temos que conviver com isso. Mas aí, aceitarmos é outra história...

instantes e momentos disse...

Muito, muito bom o post. É bom te ler.
Maurizio

Leila Saads disse...

Li essa matéria na Folha. Um absurdo...

Beijos!

On The Rocks disse...

Não vai passar nunca. cada vez mais só faz piorar!
infelizmente.
até mais.