quarta-feira, janeiro 07, 2009

Do amor

Gente, olha que lindo isso:

"O Amor é o mais exigente, o mais difícil de satisfazer de nossos instintos. Temos fome e se podemos comer, a fome desaparece. Temos sede e se podemos beber, cessamos de ter sede. Temos sono e se dormimos despertamos dispostos. Assim repousados, saciados, despertos, não pensamos mais em comer, beber ou dormir, até que a necessidade de novo renasça. Mas a necessidade de amar é de uma tenacidade diferente. Parece com uma sede que ninguém poderá satisfazer totalmente, nem mesmo pela posse física."

(Marie Bonaparte. Chronos, eros, thanatos)

Enamorar-se é o mais genuíno dos ópios.

4 comentários:

bossa_velha disse...

verdadeiro. sinto falta dos teus poemas.

On The Rocks disse...

o amor é de doer.

F. Reoli disse...

Amar é o além do próprio sentimento... a tal da sede que não cede...
Beijo bom em você!

mari disse...

eu fico triste quando não sinto amor romântico por alguém. parece que me falta realmente algo... e é uma pena perceber que a cada dia fica mais difícil encontrar esse alguém para amar: tornei-me um gelinho :T