terça-feira, março 17, 2009

denúncia


abaulado em frescor de lírio
paira um alento
ah, que lento!
e risca um mistério
na superfície da pele
quieta

vai seduzi-la ao arrepio
(segredo)
beijar-lhe cicatrizes antigas
louvá-la por maduras resistências


e ela, brilhando em penugem gracejante,
se ri, treme,
caçoa sanguínea do fascínio despertado

:é manta calejada ,
de rubores inconfessados,
mas se acusa indefesa -
latência que não se acostuma.

11 comentários:

fred disse...

Muito bom, Aline.
Beijos

On The Rocks disse...

massa mesmo!

essa menina é danadinha, fred.

é por isso que sempre tô passando por aqui.

bj

fred disse...

Mas parece que ela sumiu, Tarcísio.
E você também.
Beijos, Aline.
Abraços, Tarcísio.

bossa_velha disse...

tuas palavras são enormes.

Mara faturi disse...

Caí aqui pelo blog da linda e estou adorando, me encantando, sem cicatrizes, mas confesso...arrepiada;)
bjo

~PakKaramu~ disse...

pAK kARAMU READING YOUR BLOGS

Bruna Mitrano disse...

concordo com eles aí em cima: danadíssima!
": é manta calejada,
de rubores inconfessados", nossa!

e vê se volta!!!

(gostei do seu outro blog, além de "danadinha" com as palavras, é toda estilosa..rs)

Tchi disse...

A pele diz tanto. A pele sente tanto. A pele expressa e toca tanto.

F. Reoli disse...

Tem um sabor inconfessável nas letras... aroma, arrepios, é como se os olhos pudessem receber o seu toque... esse poder é pra poucos, poeta... te beijo

Cadinho RoCo disse...

Mas qual acusação que ela faz de si mesma?
Cadinho RoCo

expresso moda disse...

Que lindo!Ah!Lindo,lindo,lindo...
Adorei Denúncia e Dual!


Parabéns!Alineeee!
virei pra ler outros com mais tempo!

bjs