terça-feira, maio 19, 2009

ofício

"O poeta lírico não produz coisa alguma. Ele abandona-se literalmente (Stimmung) à inspiração. Ele inspira ao mesmo tempo clima e linguagem. Não tem condições de dirigir-se a um nem outra. Seu poetar é involuntário. Os lábios deixam escapar o 'que está na ponta da língua'.
(...)
O poeta lírico escuta sempre de novo em seu íntimo os acordes já uma vez entoados, recria-os, como os cria também o leitor. Finalmente reconquista o já perdido encantamento da inspiração, ou dá, pelo menos um cunho de involuntariedade à sua obra, como o fazem também muitos poetas de épocas decadentes, herdeiros deste legado útil."

(Joseph Staiger)

3 comentários:

Renata Iannarelli disse...

Linda, não consigo postar comentários no outro blog daqui de casa!
Apesar de estar de licença por conta de uma luxação no dedo, vou encontrá-las amanhã no CCBB, às 18h, sim. Estou louca para conhecê-las!
A gente se encontra no saguão?
Mande seu e-mail para mim, por favor, para eu conseguir manter contato.
ridaraujo@oi.com.br

Bjk

Click disse...

Adorei este espaço. Confortável e cheio de almofadas!

Mara faturi disse...

O poeta lírico??!!! mas que poeta não é lírico??? ahhhh, esse "não"...esse não é poeta;)
bjos