quarta-feira, outubro 14, 2009

quatro versos sem pretensão

enquanto eu miro a rigidez do dedo que ameaça
queria mesmo era me perder num labirinto de sentenças quebradas
*
ouça o velho trovador do mato quando diz:
“escute a cor dos passarinhos!”

Nenhum comentário: