segunda-feira, junho 13, 2011

cordas

gosto de me furtar
dependurada em cordas
              agudas
que ao destrinchar-me os tímpanos
rasgam-me ainda o peito
mãos dedilacerando fibras
que arrebatidas
solam
chorando arritmias...

3 comentários:

V.H. de A. Barbosa disse...

gosto dos seus poemas, são bem plásticos, quase dá para tocá-los

parabéns

Mara disse...

Perfeito! É exatamente o que sinto quando toco o violão ou a guitarra!
Excelentes poemas! Parabéns!

Mara.

http://folheandolife.blogspot.com/

Daniela Borges disse...

que lindo!