quinta-feira, março 29, 2012

Moça com livro - Almeida Junior


Estava fadado a não acontecer. Eu sabia tudo sobre ele, mas ele nada sabia de mim. Eu o admirava por razões tão várias e sólidas, ele não fazia ideia da minha existência. Éramos contrapartes perfeitas, afins, complementares, separadas por dez mil quilômetros de mar e um universo inteiro de ignorância. Do silêncio de cada noite solitária, eu acompanhava seus passos, seus progressos, observava-o brilhando a cada nova criação, orgulhava-me de suas empreitadas. Aconchegada em meio a seus livros e alguns recortes de jornais, era com ele, ao lado do que ele tinha de melhor que eu passava cada noite. Cada hora funda sorvida no mais sincero enternecimento, gozada no mais profundo aprendizado, tomada por tudo de mais precioso que ele houvera criado. Apartados de corpo, enlaçados de espírito, porém sentenciados pela ausência.

Duas notas soltas, afinadas à distância, maculadas pelo destino de nunca fazerem coro.

Nenhum comentário: