sexta-feira, abril 25, 2014

Soneto de breve impressão da estética do poeta Wordsworth

Em muito afasta a pena do traçado
Honesto o que em brumas se meteu
De dar-se em iras próprias espelhado,
Tornando universal o que é só seu.

Mister é que o escriba se isente
Da causa própria na composição.
Se quer galgar a pura honestidade
Precisa reservar a emoção.

É justo o comentário do poeta
Que louva a emoção quando lembrada.
Na calma assentada da memória,

O tema subjuga-se ao esteta,
A mera impressão é elevada,
A obra brilha, não queda simplória.



Um comentário:

PAULO TAMBURRO. disse...

ALINE.

Foi muito bom ter encontrado seu blog ao qual voltarei sempre!

Também, estou lhe convidando para conhecer dois dos meus,no primeiro a temática é o amor.
Amor que transcende,enaltece, valoriza e encanta a vida de cada um de nós.

E no HUMOR EM TEXTOS, quem sabe rir um pouco, pois afinal ninguém é de ferro!

Nesta sociedade de violências e agressividades explícitas e indesejáveis, o amor ainda encontra no coração daqueles que insistem na felicidade como objetivo,um lugar de extrema beleza e sensibilidade existencial e o humor uma boa razão para continuar a ser feliz.

Confira: e ficaria honrado com sua presença e quem sabe seguir-me:

FALANDO SÉRIO.
http://ptamburro.blogspot.com.br/

HUMOR EM TEXTOS
http://paulotamburro.blogspot.com.br/


Se quiser conhecer todos os meus blogs, basta clicar, no meu nome, neste comentário, lá em cima ao lado da chave que espero lhe abra todas as portas.

Um abração carioca